Cristiane Brasil diz ter influência em ministério e que criança deveria poder trabalhar

9 de março de 2018

cristiane-brasil

Em entrevista concedida para Amanda Audi, do  Poder360, a deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ) afirma que exerce influência no Ministério do Trabalho mesmo tendo sido impedida de tomar posse como ministra. O atual ministro, Helton Yomura, é seu amigo pessoal e ex-assessor. Essa entrevista mostra o perfil dos golpistas, em todos os níveis de poder. Alguém acredita que Cristiane Brasil realmente estará fora da esfera de poder e deixará o comando do MTB para seu assessor?

A quase ministra defende que crianças deveriam poder trabalhar, ajudando os pais e aprendendo um ofício. Não poderia ser diferente de alguém que tem processos trabalhistas por não pagar salários e direitos do trabalhador.

Confira a entrevista:

Poder360 – Como foi o período em que a sua posse no Ministério do Trabalho foi impedida, entre janeiro e março deste ano?
Cristiane Brasil – Minha vida ficou em suspenso. Fiquei sem dormir, minha saúde foi afetada, meus filhos também. Foi um período muito difícil. Cheguei a ir para o psiquiatra, tomar remédio. Tive perda de cabelo. Agora passou, graças a Deus. Mas cheguei a ter fobia de local com muita gente. Pedi escolta da Polícia Legislativa.

Se sentiu ameaçada?
Recebi diversas ameaças pela internet, mensagens por WhatsApp. As pessoas ficaram furiosas sem eu ter feito nada. Eu não respondia. Registrei todas as ameaças na Polícia Legislativa. A partir da semana que vem, vou dar entrada para pedir quebra do IP (endereço do computador) dessas pessoas. Vou processar uma por uma.

E fora da internet, também recebeu ameaça?
Escutei um monte de piada. As pessoas quase quebravam o pescoço para me olhar. “E aí, vai ser ministra?”, e caíam na risada. As pessoas são ruins. Mas muitos vieram me abraçar, prestar solidariedade, dizer que era maldade o que faziam comigo. Recebi solidariedade dos deputados também. Até da oposição.

A senhora defende que crianças podem trabalhar?
Em algum momento já me manifestei neste sentido. No passado, as crianças trabalhavam, ajudavam os pais, aprendiam o ofício junto com eles. Hoje em dia não pode. Acho isso errado. Acho que deveriam aprender a trabalhar como uma brincadeira. Isso não ofende e nem maltrata a criança. Acho um erro a criança não poder aprender a trabalhar. O ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente) proíbe a criança de aprender 1 oficio.

A senhora será candidata?
A luta que vivi me fez enxergar que as mulheres precisam de mim na Câmara para lutar pelos direitos das mulheres parlamentares. Somos muito agredidas. O fato de ter sido indicada ministra, ser solteira, ter perfil em aplicativo de relacionamento, tudo isso foi criticado, virou matéria jornalística. Hoje em dia não tenho tempo de buscar relacionamento e não quero conhecer político, então uso o aplicativo. Tenho vários colegas solteiros que usam, e eu, por ser mulher, viro matéria. Fiz projeto contra as formas de constranger mulheres no mandato ou na candidatura. Isso acontece muito, com ameaças, falta de recursos.

Funcionários do Ministério do Trabalho dizem que a senhora exerce influência sobre a pasta, mesmo sem ter sido empossada. Procede?
Quando o seu partido, o PTB, tem um ministério, o que pressupõe? Isso pressupõe que você vai ajudar aquele ministro a propor políticas públicas. Se minha influência ajuda o Helton [Yomura, ministro interino] a ter boas politicas públicas, se é influência positiva, que assim seja. É a influência que tenho. A gente conversa republicanamente.

O que gostaria de fazer se fosse ministra?
Eu adoraria ter pego a lista de trabalho escravo e ter feito diligências em todas aquelas fazendas. Queria ir pessoalmente em cada lugar e erradicar o trabalho escravo no Brasil.

O que diz sobre as acusações sobre tráfico de drogas feita contra a senhora?
A acusação sobre o tráfico de drogas foi fruto de uma denúncia anônima, de um cara que se identificou como Cristiano Ronaldo. Provavelmente um adversário político da região. Alguém que trabalhava comigo deve ter arrancado as placas da campanha dele, só pode. Agora estou esperando que a PGR (Procuradoria Geral da República) se manifeste. Depois deve ser arquivado. Não tem nada ali. Causou constrangimento absurdo e não tem nada de concreto.

Alex Glaser
09.mar.2018

Localização

Rua João Antônio da Silveira, 885, Centro, Novo Hamburgo

Revista ContraOrdem

Contra Ordem nº 2
junho/2018

– A questão social dos caminhoneiros
– Tudo o que aconteceu na Conferência Nacional dos Bancários e Bancárias
– O projeto de destruição da Petrobrás
– Ultratividade: Entenda o que está em jogo

Ver essa edição Ver edições antigas

Novidades pelo whatsapp

Inclua o número (51) 99245-5813 nos contatos do seu celular.

Parceiros:

Direitos reservados - Sindicato dos Bancários e Financiários de Novo Hamburgo e Região